Chamada de Trabalho

O VI Encontro Regional Sudeste de História da Mídia possui na atualidade nove Grupos Temáticos que se distribuem em: História do Jornalismo; História da Publicidade e da Comunicação Institucional; História da Mídia Digital; História da Mídia Impressa; História da Mídia Sonora; História das Mídias Audiovisuais; História da Mídia Visual; História da Mídia Alternativa e Historiografia da Mídia.

Para os GTs são aceitos textos de professores, pesquisadores e estudantes de pós-graduação. Estudantes de graduação podem submeter artigos em parceria com seus orientadores. Profissionais ou empresários que atuaram como testemunhas oculares da história da mídia também são convidados a enviar propostas.

O processo de submissão, avaliação e aprovação dos trabalhos não está condicionado à formalização da inscrição no Encontro. No entanto, é necessário que o postulante comprove a realização de sua inscrição e o pagamento da respectiva taxa para que possa participar e apresentar o trabalho no evento, receber certificado de participação e para que a produção conste nos anais do evento.

Confira as emendas dos GTs da Alcar:

GT – História do Jornalismo

Ementa: A multiplicidade das experiências jornalísticas no Brasil. Processo de institucionalização do jornalismo como profissão. A relação do jornalismo com a sociedade como fenômeno cultural e político. A contribuição do jornalismo para a história do Brasil. Conformações jornalísticas em relação ao sistema de comunicação em diferentes momentos históricos. A produção jornalística em múltiplas mídias: impressa, radiofônica, televisiva, online. História do texto, das práticas e dos modos de consumo jornalísticos. Contribuição de jornais e de jornalistas como atores da história. Questões teóricas e empíricas acerca de coberturas e narrativas jornalísticas numa perspectiva histórica. Estudos de caso referentes a espaços sociais e veículos determinados. Os produtos jornalísticos como fontes historiográficas. O jornalismo e a construção de uma imaginação histórica. Os vínculos entre jornalismo, tempo e memória.

Coordenadores: Phellipy Jácome (Universidade Federal de Minas Gerais) e  Rachel Bertol (Universidade Federal Fluminense)

Email: alcargthistoriadojornalismo@gmail.com

 

GT – História da Publicidade e da Comunicação Institucional

Ementa: Estuda a história e os processos de comunicação e de relacionamento, internos e mercadológicos, estabelecidos entre as instituições públicas, privadas e não governamentais, e seus diferentes públicos. Contempla aspectos teóricos, técnicos e práticos da publicidade e propaganda e da comunicação institucional, inclusive os ligados ao ensino e à pesquisa, bem como as suas interfaces com as mais variadas ciências. Trata das questões epistemológicas, culturais, ideológicas, éticas, estratégicas e de gestão do campo, bem como das múltiplas linguagens, estéticas, mídias, profissões e da organização do trabalho.

Coordenadora: Patrícia Saldanha (Universidade Federal Fluminense)

Email: alcargthistoriadapublicidade@gmail.com

 

GT – História da Mídia Digital

Ementa: O objetivo do GT é refletir sobre o papel das mídias digitais na construção da memória histórica e social, incluindo a história do tempo presente. Tais reflexões podem centrar-se, entre outras possibilidades, na investigação das mídias digitais em termos de suas interfaces, discursos, imaginários, materialidades e suportes. Exemplos de temáticas pertinentes incluem estudos sobre a história e desenvolvimento das mídias digitais; jornalismo digital em suas interfaces com as redes sociais digitais como locus de memória social e de representações; estudos sobre games e memória social; performances e práticas de consumo nas redes sociais digitais; práticas de consumo e formas de apropriação de mídias digitais como dispositivos móveis (telefones celulares, tablets e smartphones); movimentos em rede, memória e cidadania; análise de discurso nas redes sociais; estudos de corte histórico sobre a construção da memória nas redes sociais;  bem como trabalhos sobre arte na web e publicidade em ambientes digitais.

 Coordenador: Fábio Gouveia (Universidade Federal de Vitória)

 Email: alcargthistoriadamidiadigital@gmail.com

 

GT – História da Mídia Impressa

Ementa: Aborda a história da imprensa (jornais, revistas, livros, volantes, cadernos) como mídia (massiva, erudita ou popular), valorizando sua relevância como o mais antigo suporte industrial da informação no Brasil; sua contribuição para o desenvolvimento do jornalismo em cidades de pequenos a grandes portes; o impacto das tecnologias sobre a mídia impressa ao longo dos séculos; as mudanças na forma de produção da notícia impressa; o desenvolvimento da profissão Jornalismo; o estudo dos jornalistas e de suas influências na linha editorial dos impressos; a importância dos atores que participam da produção histórica dos impressos, (gráficos, fotógrafos, compositores, jornaleiros, colaboradores), entre outras abordagens latentes no estudo da história da imprensa.

Coordenador: Nuno Manna (Universidade Federal de Uberlândia)

Email: alcargtmidiaimpressa@gmail.com

 

GT – História da Mídia Sonora

Ementa: O grupo abrange trabalhos de pesquisas históricas sobre o rádio ou outros suportes que trazem a linguagem do áudio. Estuda-se a especificidade da linguagem, dos formatos, dos gêneros, da tecnologia, dos efeitos na recepção e busca-se resgatar personagens, programas, sonoridades ou a cobertura de episódios que marcaram a vida da sociedade brasileira, valorizando a diversidade regional.

Coordenador: João Paulo Malerba (Universidade do Estado do Rio de Janeiro)

Email: alcargthistoriadamidiasonora@gmail.com

 

GT – História das Mídias Audiovisuais

Ementa: O objetivo do GT é discutir temáticas ligadas à história e à memória do cinema, da televisão, do vídeo e de outras formas de comunicação audiovisual. São de interesse do grupo questões econômicas, sociais, políticas, tecnológicas, técnicas, estéticas e profissionais; linguagens, discursos, narrativas, gêneros e formatos; formas de produção, circulação, recepção e consumo. São também bem vindos trabalhos que se proponham a debater aspectos teóricos e metodológicos da pesquisa sobre audiovisual.

Coordenadoras: Ana Paula Goulart Ribeiro (Universidade Federal do Rio de Janeiro) e Alice Melo (Universidade Federal do Rio de Janeiro)

Email: alcargthismidiaaudiovisual@gmail.com

 

GT- História da Mídia Visual

Ementa: O GT Mídias Visuais tem como questão central a relação entre visualidade e mediação. Busca pensar processo de comunicação visual não somente pelo discurso que engendra, mas pelo conjunto de práticas e dos meios que definem o processo de comunicação visual, que inclui as imagens fixas – analógicas e digitais – os vídeos e a linguagem videográfica, além das apropriações intertextuais e os hibridismos entre as linguagens.

Coordenador: Carlos Eduardo Pinto (Universidade do Estado do Rio de Janeiro)

Email: alcargthistoriadamidiavisual@gmail.com

 

GT – História da Mídia Alternativa

Ementa: A presença de veículos alternativos (impressos, sonoros, audiovisuais e digitais) na história da comunicação, compreendendo os seguintes enfoques: mídia alternativa em contextos de repressão; mídia nos movimentos de resistência; comunicação nas organizações populares; mídia e minorias representativas; demais formatos e alternativas de produção popular/comunitária/independente. As pesquisas envolvem a memória de meios alternativos e personagens, características da mídia alternativa e abordagens teórico-conceituais sobre o tema.

Coordenadores: Camila Escudero (UMESP/ IPEA)

Email: alcargthismidiaalternativa@gmail.com

 

GT – Historiografia da Mídia

Ementa: O objetivo deste GT é discutir temáticas que problematizem a produção do conhecimento contemporâneo na interseção entre mídia e história. Dois aspectos fundamentais: a escrita histórica contemporânea em sua relação com a escrita midiática e a produção de história, memória e esquecimento a partir dos meios de comunicação. Investiga-se também a produção do acontecimento histórico/memorável na relação mídia e história; temporalidade e meios de comunicação; hermenêutica histórica e mídia; memória e meios de comunicação, narrativa da história e narrativa da mídia, a história como produto midiático; escrita midiática como escrita da história; o passado como objeto dos meios de comunicação.

Coordenadores: Rosana Schwartz, Ingrid Hötte Ambrogi e Gláucia Davino (Universidade Presbiteriana Mackenzie em São Paulo)

Email: alcargthistoriografiadamidia@gmail.com

 

Calendário de Inscrições

Submissão de trabalhos: prorrogado até dia 01 de novembro

Divulgação da Carta de Aceite: até 09 de novembro de 2020

 

Normas Editoriais:

O trabalho deve conter:

  • Título: em negrito, fonte Times New Roman, 14, centralizado. Incluir nota de rodapé informando em qual GT o trabalho será apresentado.
  • Autor(es): último sobrenome em maiúsculas, titulação ou graduação, identificação da instituição e unidade de federação – em Times New Roman, 12, centralizado, duas linhas após o título. Incluir nota de rodapé com breve currículo do autor e endereço eletrônico.
  • Resumo: entre 10 e 15 linhas, deve ser formatado em fonte Times New Roman, 10, justificado, espaçamento entre linhas simples.
  • Palavras-chave: o resumo deve ser seguido por, pelo menos, três palavras-chave, sendo a primeira ancorada na temática do respectivo GT e as demais especificando subáreas temáticas ou interfaces disciplinares.
  • Texto: alinhamento justificado; fonte Times New Roman, tamanho 12; espaço entrelinhas de 1,5, margem superior/inferior e esquerda/direita 3 cm, de 10 a 15 páginas, incluindo bibliografia.
  • Referências: conforme norma da ABNT

Baixe aqui um modelo de submissão de trabalho.

Informações Importantes:

1) Os textos completos devem ser salvos em formato .pdf e ter como título o GT específico, nome e sobrenome do autor (por exemplo, gtjornalismo_joao_cunha). Os textos completos devem ser enviados para o e-mail do Grupo Temático respectivo, com cópia para o e-mail: alcarsudeste2020@gmail.com

2) Os autores devem aguardar resposta de confirmação do recebimento pelo respectivo coordenador do GT.

3) Na ausência de resposta imediata, recomenda-se fazer nova remessa, para evitar problemas de extravio.

4) Os coordenadores de grupos temáticos somente incluirão no programa do evento e os organizadores locais somente publicarão nos Anais Eletrônicos aqueles trabalhos cujos autores estiverem formalmente inscritos.

5) Cada autor só pode submeter um trabalho como autor principal e, no máximo, dois trabalhos como autor secundário.

São considerados autores principais: graduados, especialistas, mestrandos, mestres, doutorandos, doutores e pós-doutores.

Os graduandos só podem inscrever trabalhos em co-autoria com seus respectivos orientadores.

6) Os trabalhos devem ter o número máximo de 5 (cinco) autores (autor principal + co-autores).

Rolar para o topo